google-site-verification: google7b42a19911303862.html

Rede Brasil Atual

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

FUNDO DE PENSÃO DA PETROBRAS COBRA R$ 843 MILHÕES DA VALE FERTILIZANTES

A Petros, fundo de pensão dos funcionários da Petrobras, está cobrando R$ 843 milhões da Vale Fertilizantes para equacionar o déficit do plano Petros Ultrafértil, que tem entre suas patrocinadoras a empresa do grupo de mineração. Em fevereiro, a Vale solicitou formalmente a retirada do patrocínio do fundo, ou seja, tomou a decisão de não mais contribuir para o plano e chegou a informar os funcionários e beneficiários de sua saída. Mas, na quarta-feira, a juíza Flavia Poyares Miranda, da 30.ª Vara Cível da Justiça de São Paulo, determinou que a companhia permaneça no fundo até a decisão final sobre os pedidos de ressarcimento.

O caso gira em torno de uma alteração do regulamento do fundo feita em 1984, estabelecendo que os beneficiários e aposentados do fundo da Petros teriam direito à correção de seus benefícios usando as mesmas regras da Petrobras para revisar os salários dos funcionários da ativa.

A questão foi discutida por inúmeros aposentados na Justiça, que ganharam a causa e foram gerando déficits na Petros, segundo conta o suplente do conselho fiscal do fundo, Paulo Brandão. Agora, a fundação está cobrando a conta das patrocinadoras. O Petros, além de administrar a previdência dos funcionários da Petrobras, também administra os planos de outras empresas, que em sua maioria foram privatizadas ao longo dos anos.

FONTE: Correio Braziliense